Maputo, Moçambique

Destino de férias de cidade
Fotos de: Maputo, Moçambique
Mapa de localização
Aeroportos
Hotéis e outros Alojamentos
O que visitar
Onde Comer
Onde Divertir
Consulados & Embaixadas
World Nomads
O Seguro de viagem com as maiores coberturas

Maputo
Maputo (até 1976 Lourenço Marques) é a capital e a maior cidade de Moçambique. É também o principal centro financeiro, corporativo e mercantil do país. Localiza-se na margem ocidental da Baía de Maputo, no extremo sul do país, perto da fronteira com a África do Sul e, da fronteira com a Suazilândia e, por conseguinte, da tripla fronteira dos três países. Até 13 de março de 1976 a cidade era denominada "Lourenço Marques" em homenagem ao explorador português homónimo.

A cidade constitui administrativamente um município com um governo eleito e tem também, desde 1980, o estatuto de província. Não deve ser confundida com a província de Maputo que ocupa a parte mais meridional do território moçambicano, excetuando a cidade de Maputo.
Turismo
A infraestrutura turística desse jovem país que acabou de conquistar a independência, em 1975, ainda falha e é pouca convidativa, mas os habitantes locais e a riqueza natural fazem de tudo para receberem (e muito bem, diga-se de passagem) os viajantes que começam a chegar nesse território africano que há apenas uma década conseguiu voltar a atenção para o setor do turismo.

O resultado é uma cidade inexplorada, turisticamente, e uma população que ainda não carrega consigo a malícia dos destinos turísticos mais experientes do planeta. Definitivamente, é um prato cheio para aventureiros mais viajados que buscam rotas alternativas em terras ainda pouco visitadas pelo turismo massivo.

Museus simples e discretos recontam a trajetória de povos ancestrais que chegaram a Moçambique, a partir dos anos 200 d.C.; pequenos centros culturais expõem, orgulhosos, trabalhos de pau-preto feitos por artistas que começam a ganhar espaço na arte; e alguns poucos (e belos) edifícios coloniais que desafiam o tempo, sem nenhuma restauração, desde a saída dos últimos colonizadores portugueses, no início da década de 70.

As atrações turísticas e uma parcela dos locais parecem mesmo ter memória voltada para o período em que o país era orientado pelos costumes europeus, sobretudo os trazidos de Portugal. Os pasteizinhos de Belém e as confeitarias típicas lisboetas do centro de Maputo não negam o passado luso.

A Casa de Ferro, construída pelo mesmo autor da francesa Torre Eiffel, construções de arquitetura portuguesa como o Jardim Botânico de Tunduru e o Museu de História Natural, a Sé Catedral e a estação ferroviária do início do século 20 são alguns dos atrativos divulgados e mais visitados na cidade.

Porém, é do outro lado da baía de Maputo que a cidade revela o que há de melhor na região: o arquipélago da Inhaca. Localizado a 34 km da capital moçambicana, em um voo de apenas 15 minutos, o destino é formado pela Inhaca, com 42 km², e pela ilha dos Portugueses, um pequeno território de 3,7 km².

A sua natureza delicada é protegida como reserva desde 1965 e abriga uma biodiversidade formada por densas florestas, em ambas as costas; savanas, no centro; e manguezais. A vida marinha conta com mais de 160 espécies de corais que podem ser vistos em praias como Ribzene e Ponta Torres, além de tartarugas e variadas espécies de peixe.

O clima relaxado de seus habitantes que circulam, sem pressa, pelas ruas rústicas de areia e pelas praias selvagens, donas de uma beleza típica da costa litorânea de Moçambique, fazem o visitante esquecer-se do clima alucinado da capital moçambicana.

Nada melhor do que assistir, isolado em alguma das praias desertas da Inhaca, o vai e vem lento dos pescadores artesanais que saem em pequenas embarcações de madeira, enquanto Maputo vai se reerguendo do lado de lá.
Gastronomia
A avenida Marginal, às margens de praias como Miramar e Costa do Sol, concentra restaurantes tradicionais, bem conhecidos pelas fartas mariscadas servidas à beira mar.

Outros pratos moçambicanos encontrados na cidade são a "matapa", uma espécie de caldo feito com folha de mandioca, coco, amendoim, caranguejo e camarão; e a "magumba", uma sardinha local.

Quem gosta de provar frutas exóticas não deve deixar de comer a "mafura", uma típica fruta moçambicana, com a qual se prepara o óleo de munhas e o sorvete com batata doce.
Clima
O Clima de Maputo é o tropical seco. O período mais quente do ano compreende os meses de novembro a abril e o mais frio os meses de maio a outubro. O período de maior precipitação ocorre nos meses mais quentes, entre novembro e março.
A humidade relativa média é de 66,6%, com pouca oscilação durante o ano. O mês com maior humidade relativa é março com 71,0%, e o mês como menor humidade é junho com 63,5%.
Outros destinos turísticos em:
Moçambique
Moçambique
Inhambane, Moçambique
Ilha de Bazaruto
Beira, Moçambique
Nampula, Moçambique
Parque Nacional da Gorongosa

Outros destinos turísticos mundiais

República Dominicana
República Dominicana
Colômbia
Colômbia
Krabi - Tailândia
Tailândia
Argentina
Argentina

Destinos de cidade e escapadelas de fim de semana

Los Angeles, Estados Unidos da América
Estados Unidos da América
Milão, Itália
Itália
Winnipeg
Canadá
Puerto Natales, Chile
Chile

Porquê reservar com TURIS BRASIL
Os melhores preços
As nossas parcerias com os maiores operadores mundiais, oferecem uma pesquisa dos melhores preços de mercado.
Mais opções
No Rotas Turísticas pode reservar o hotel, comprar a passagem aérea, reservar o transfer do aeroporto para o hotel e vice-versa, reservar as excursões locais, alugar o carro, fazer o seguro de viagem e consultar os locais a visitar e onde ir
Dicas & Destinos de férias
Centenas de destinos de férias com todas as opções que lhe permitem facilmente escolher o destino que melhor combina com as suas férias de sonho.


Siga-nos nas redes sociais